Resenha do livro: eleanor e park

Resenha do Livro Eleanor e Park

46297611_2155452004504907_8831376345852200027_n

É um livrinho fofinho que você quer?

Esta é a história de um casal de adolescentes que se conhece no ônibus escolar. Eleanor e toda a sua “bizarrice” e seu estilo único destaca-se no colégio (chega a sofrer preconceito por isto). A garota que sofre com dificuldades financeiras passada por sua mãe e seu padrasto. Vive com mais quatro irmãos e com a mãe que é mais preocupada com os interesses do marido do que os dos próprios filhos.

Ela consegue conquistar a amizade e o coração de Park, que a proporciona momentos de alegrias e contemplação de boas leituras e músicas.

Park conhece Eleanor e se encanta (depois de estranhar seu jeito) pela menina calada que com toda sua esquisitice consegue conquistar seu coração. Existe uma diferença social (embora pequena) que faz com eles se sintam vivendo em dois mundos distintos. Mas nada que force o amor, o carinho e o respeito mútuo acabar.

Ele consegue inserir Eleanor em seu mundo (e também em seu coração) proporciona a ela passeios, a oportunidade de estar em uma casa com uma família tradicional, que se senta à mesa para as refeições e a recebe de braços abertos. Coisas completamente opostas ao seu mundo, em sua casa, lugar em que ela ao menos tem espaço suficiente para dormir, pois é abarrotada e esmagada com os irmãos pequenos.

Quando ela consegue dormir (deixando os gritos da mãe de lado) sonha com Park e a vida que ele mostra para ela que existe e que ela pode e merece. A história é ambientada nos anos 80 e isso nos transporta à época dos Walkmans e fitas k7s. E ao mundo em que não se podiam trocar mensagens e alertar ao grande amor da vida sobre os perigos e os dramas vividos.

Achei uma história bem bonita, fácil de ler e fluída. Tem momentos que são muito tristes e que uma lágrima parece nascer nos olhos, mas tem momentos divertidos e que acalmam o coração.  Não gostei (ou não entendi) o final. Gostaria que fosse diferente. Mas, é sim, uma história que vale a pena ler e estar na estante.

 

Tem um apelo do público muito grande para a adaptação às telonas. Será que teremos Eleanor e park em um filme? Espero que sim.

46540360_268098937207741_4865335763800875392_n

 

Você já leu? O que achou?

eleanor e park (livro amorzinho)

Sabe aquela história gostosinha de ser, mas que tem como pano de fundo tramas familiares (daqueles que dá vontade de ser a mãe do personagem e cuidar dele) que mexe com o coração e dá uma gostosa sensação de querer torcer pelo romance. Estou na página 111 e, até o momento, não tenho queixas. Só tenho amado e adorado a história. Quando terminar de lê-lo, eu trago uma resenha.

E vcs,  estão lendo alguma coisa? Conte para mim… adoraria saber.

É tão simples…

É tão simples…

O coração às vezes dá alguns sinais. E, nem sempre conseguimos detectá-los. Dia desses, eu me perguntei: O que é felicidade?

Sei que é subjetiva e que é tão difícil de descrevê-la ou simplesmente percebê-la. Hoje, por instante, enquanto meu coração sentia a alegria de ver minha pequenina ensaiando suas primeiras “artes” eu descobri que, para mim, felicidade é contemplar o pequeno ser que é parte de mim. A maior e melhor parte de mim.

Concluí que é tão simples descobrir a felicidade, e, no meu caso, ela tem bochechas deliciosas de apartar e só sabe falar “gu-gu-da-da”.

Por: Érica Calefi

eu e amanda

 

Resenha do livro: Tarde Demais – Colleen Hoover.

 

Este foi um livro que eu achei muito impactante. Os pontos que a autora abordou são extremamente fortes. O mais triste é saber que existem casos verdadeiros, que devem tê-la inspirado. Esta obra, é diferente de todas as que ela já havia publicado. Ela escreveu uma nota e publicou no começo do livro o que motivou-a a publicá-lo:

nota da colleen hoover

Uma história sobre tragédias, superação e ironias da vida; 

Sloan é uma jovem, que teve a infelicidade  de nascer em uma família desestruturada e que, aprendeu desde cedo a cuidar de seu irmão, uma vez que, a mãe estava sempre às voltas com os padrastos temporários que arrumava para a garota semanalmente. Vítima da negligência de sua mãe, ela se vê sob a responsabilidade de cuidar de seu irmão que tem problemas de saúde e teria perdido o auxílio do governo. Para manter os tratamentos dele, Sloan acaba se vendo presa a Asa Jackson – Traficante perigoso e imprevisível.

Quando ela conhece Asa, ele não revela sua verdadeira identidade e a faz acreditar que é uma pessoa boa. Mas, depois de um tempo, ela que já desconfiava da vida de luxo do namorado que bancava sua faculdade e os tratamentos do irmão. O forte movimento na casa que vivia cheia de rapazes que obedeciam religiosamente às regras de Asa a fizeram desconfiar de que, a vida que ele levava não era das mais corretas.

Ela não conseguia tempo para descansar na casa, pois, estava sempre efetuando trabalhos domésticos e as festas que Asa oferecia diariamente, consumiam todo o seu tempo e sono. Durante uma aula de espanhol, depois de ser flagrada dormindo (até babar) ela conhece Carter. Eles descobrem que estão em sintonia. É Carter que vai fazer Sloan perceber que existe uma chance para ela e o sentimento que jamais acreditou que pudesse ser digna: o amor.

 

Pesado Demais!

Este livro não se trata de um clichê do qual o mocinho salva a mocinha do maldoso vilão. Ele retrata tragédias reais, das quais milhões de mulheres pelo mundo são submetidas: estupro, violência, abuso das mais variadas formas. Trata também, de transtornos psicológicos. Como a autora traz a narrativa dos 3 personagens: Asa, Sloan e Carter, dá para digamos… entrar na mente de Asa e perceber seus transtornos psicológicos. E é chocante as visões que ele tem sobre cada situação que ele faz Sloan passar.

Colleen  Hoover consegue em alguns momentos, nos fazer entender que Asa na verdade é vítima de um pai que sofria esquizofrenia  e que deturbou sua concepção sobre as mulheres, sobre o certo e o errado. Ficou claro que, ele ama Sloan, entretanto, do jeito que ele compreendia por amor.

Sloan: teve alguns momentos que eu me vi em sua pele e senti o medo que ela sentia. Porém, a Colleen Hoover conseguiu me fazer ter MUITA REPULSA de Sloan em uma cena de vingança que eu achei desnecessária.

Sobre a narrativa: É bem interessante a forma como a autora consegue desenvolver uma linha de diálogos e pensamentos entre os personagens do ponto de vista dos três (me impressionou muito), mas é bem pesado: tem MUITOS, MUITOS, MUITOS, MUITOS palavrões (tem palavrão pra car @***).

O livro, como sabemos, foi escrito quase que com interação direta do leitor, em um momento em que ela estava “sem inspiração” para as outras obras “publicáveis”, mas atendendo aos fortes apelos do público, ela publicou e anunciou que por tempo limitado – tanto impresso como online. – Sendo assim, ele não teve uma ordem de diagramação completa, nota-se que ela escreveu um epílogo, depois um epílogo do epílogo, um prólogo no final do livro. Isso ela quis que ficasse como havia ficado na plataforma, portanto, o livro tem pouca revisão. Mas está perfeitamente bem escrito.

Achei bastante interessante.

Cortaria a parte da vingança! HEHEHE

Eu gostei da leitura e guardei o livro no alto para que as crianças não o alcance, pois o conteúdo é bemmm forte.

Tarde demais é pesado, mas vale a leitura dessa obra tão diferente da Collen Hoover.

Querida vida,

Querida vida,

Tudo bem com você? (espero que sim!)

Eu estou muito bem, obrigada!

Hoje eu decide lhe escrever… Não que eu precise reclamar de algo, estou muito feliz, obrigada por cuidar da minha alegria. Mas… acho que você deveria ir com calma, não acha? Você já viu que dia é hoje? Já estamos em outubro (no final dele, aliás), o que é isso hein? Parece que foi ontem que eu vi um papai noel “beudauço” na rua, depois de trabalhar tanto nas lojas. Eu estava divagando aqui… absorta em pensamentos, poxa vida, já me acostumei em ser balzaquiana, aliás, estou adorando. Mas, não pensei que a velocidade dos dias fosse passar muito mais rápida. Não quero fazer drama. (talvez só um pouquinho) mas, por favor, vai mais devagar. Vamos levar um dia de cada vez, bem devagarzinho em slow motion, pode ser?  Quem sabe assim, eu consiga ler todos os livros que esperam por mim na pilha de próxima leitura, quem sabe assim, eu consiga pôr prática meu projeto fitness (esse precisa de muita oração, tá embaçado aqui… rsrsr), talvez eu possa escrever meu novo livro (ansiosa). Se eu te fizer um poeminha você promete ser mais boazinha e passar mais devagarzinho?

Olha só, de improviso hein?

Vida,

Hoje eu percebi que você é fugaz

que meu sonho é sagaz

que minha alegria é sentir

um dia de cada vez surgir.

Hoje, eu percebi que viver é correr

descobri que às vezes, amar é sofrer

que o silêncio tem uma linda voz

percebi que estarmos vivos é o melhor para nós

peço encarecidamente, vá com calma, vida

eu  ainda tenho tenho muitos sonhos,

minha querida!

Érica Calefi

 

Leituras de setembro e outubro.

Vamos falar de  coisa boa? ( não é a top therme rsrsrs) Aquelas coisinhas que nós amamos cheirar, olhar, fazer listinha (ensaiar uns carrinhos de compras online), paquerar, ficar admirando na estante… Preciso falar mais?

LIVROS com L de Lindos, maravilhosos e quero todos sabe?

Leituras que fiz recentemente. Primeiro, vou confessar que desviei um pouco do caminho literário para o caminho tão exuberante e irresistível das redes sociais… mas, confessa: Você já fez isso né?

Imagem relacionada

Okay, okay… rsrs. Mas, agora vou compartilhar o que me trouxe para esse universo fantástico e mágico dos livros de volta…

Nicholas Sparks é um bom motivo para trazer melhor de mim não é mesmo? (não resisti ao trocadilho rsrs)

Não se trata de nenhum lançamento, mas valeu como um bom recomeço…

Gente, que história linda. Bom… eu desejei um final diferente, assim como no “Como eu era antes de você. ”   A diferença é que foi mais previsível o final do segundo título da outra autora. A história é deliciosa de se ler, emocionante e prende muito. Mas… assim que terminei a leitura, “cacei” o filme na Netflix para assistir. E… que balde de água fria. Não foi como o livro. Primeiro que mudaram tanta coisa. E os atores que fizeram o Dowson na idade mais jovem e mais velha, eram descaradamente diferentes. Não me convenceu. O que eu achei muito bonito no filme foi a fotografia e só… Sou mil vezes mais o livro, que está guardadinho no meu coração.

Adorei!

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

 

Agahta Christie é um o segundo motivo que me fez querer ler muito.

O Natal de Poirot. Hum… livro bem envolvente e que tem um certo “puxa a página”, sabe? Faz você virar a noite querendo descobrir quem foi o cruel assassino. E me surpreendi. Vale a leitura! Gostei bastante. Mas… é a rainha dos romances policiais não é mesmo? Não podia ser menos que maravilhoso.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

 

Nora Roberts uma rainha dos romances.

Eu escolhi o livro em uma troca de pontos e, selecionei o livro 2 da trilogia A POUSADA: O ETERNO NAMORADO. (mas já comprei os outros que complementam a história) eu li antes de ler o 1 e, sinceramente, dá para ler em avulso, uma história linda e bem “fechada” entre o casal  Avery e Owen, mas… quero saber mais sobre os outros casais e sobre Lizzy (Entendedores entenderão. rsrs) a Nora tem o supremo poder de nos transportar para o local da trama. Gente, eu achei linda cada suíte da pousada e consegui visualizar com perfeição a “hóspede” mais ilustre rsrsrs.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

 

Uma agradável surpresa: Finlândia!

Sabe aquele “livrinho” fofo e cheio de charme, capaz de trazer até o frio da neve que está caindo no cenário? Uma delícia poder conhecer a Aurora Boreal, a floresta Boreal, a capital Helsinque e seu Porto tão cheio de vida. Mas… o mais surpreendente: Scarlet Rose é uma autora baiana arretada! “BOTE REPARO NESSA CAPA”:

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Uma pequena mudança: Sheila Roberts.

A história é deliciosa e traz a ideia de um estilo de vida mais sustentável, econômico e prático. Tem três personagens femininas que percebem que a vida tem uma forte queda no nível social e, são obrigadas a ajustar os gastos. Elas aprendem que uma comida caseira e uma roupa de brechó, não são tão ruins quanto pensavam e que um cartão de crédito que não é bem administrado, pode custar um casamento. Adorei a história, aprendi muito e acho que é um delicioso romance educativo.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

A cidade que se apaixonou: Ronda Rich

É a divertidíssima história de uma escritora divorciada  Abby Houston, que tem uma mãe que, apesar do sucesso financeiro e da carreira da filha,  que sempre está na lista dos livros mais vendidos do The New York Times, acha que ela é uma fracassada, por não poder ostentar um bom marido. Abby, vai para uma pequena cidade divulgar seu novo livro e a cidade toda se apaixona por ela. É muito engraçada a narrativa da autora Ronda Rich, que, por incrível que pareça, também foi pedida em casamento por um: surpresa! Leia o livro! rsrsrs 

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Doce Revés: Kevin Alan Milne

Doce revés conta a história de Sophie, uma garota que passa por um trauma na infância, ela supera suas dores com Garrett, que teve seu destino traçado muito antes de eles se conhecerem. Ambos estavam envolvidos na mesma dor e não sabiam. Uma história doce e deliciosa de ler. Apaixonei-me por cada capítulo. Vale a leitura!

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Esses foram os livros que li enquanto escrevia meu primeiro livro: Depois que ela se foi.

Eu tenho uma pilha de livros para ler e vou compartilhando com vocês nos próximos posts. Mas me conta, você já leu algum desses? O que achou? Tem dicas de leitura para me passar? Quero saber!

Obrigada pela leitura!

Depois que ela se foi…

Olá, como vão? (espero que muito bem!)

Faz tempo que eu não apareço por aqui. Vocês podem me perdoar? (diz que sim, vai. Sim?) Eu estava escrevendo meu primeiro livro (ah, que alegria.) você vai encontrá-lo aqui: Depois que ela se foi…

O livro conta a história de uma menina que foi abandonada pela mãe, que fugiu com o amante levando um irmão mais novo e grávida.

Para fugir, a mãe pede à filha que ela vá ao poço buscar água para a família. Quando Isadora volta, não havia  mais ninguém em casa. É um pouco triste, mas eu prometo que não será tão piegas e que terão momentos alegres também. Posso falar uma coisa?

Chorei muito ao escrevê-lo. Mas, tenho certeza, que essa história me transformou enquanto mulher, enquanto mãe, enquanto um ser que possui um coração. Espero que você tenha gostado de saber que esse é um sonho (antigo) realizado e que eu ficarei imensamente feliz se você quiser lê-lo.

depois que ela se foi

Livro!

Olá, estimados leitores!

Estou ausente por aqui… (perdoem por isso!) Mas tem uma razão: uma boa razão!

Depois de muitos anos querendo (mas postergando) resolvi publicar meu primeiro livro.  Segue uma pitadinha… Detalhe: Ainda não defini o título dele.

É INSPIRADO NUMA HISTÓRIA REAL!

 

Publicarei dia 18 de Outubro é um Romance, que tem como pano de fundo tramas familiares. Muito impactante mas, real.

Assim que publicar eu volto para postar os links para compra.

Bjs, ÉRICA